Páginas

26.2.08

COMO É MESMO O SEU NOME?


Esta frase pode soar de diversas formas. No meu caso, foi pura estupefação. Sabemos que todas as pessoas têm direito ao nome (prenome e sobrenome) e, conforme o disposto no art. 16 do Código Civil, ele é personalíssimo. Será que é por isso que muita gente exagera, acredito que por esmero, na hora de personalizar, inventar ou nacionalizar nomes?

Pois é. Dias depois de fazer uma compra deparei com o meu nome na nota fiscal escrito assim: Margareti Cuiaba. Reconheço ter sido uma tentativa simpática de aportuguesar o Margareth, mas transformar Cunha Bastos em Cuiabá, ah... isso foi demais para uma carioca! Só me resignei quando Iscalite (pronuncia-se iscalaiti) escreveu de próprio punho o seu nome no cartão que me enviou. De lá pra cá não consigo deixar de pensar em qual teria sido a motivação de seu nome. Luz do céu? Scarlett O’Hara ? Coisa que não tive coragem de perguntar...