Páginas

12.2.10

ENFIM, CACHI

Em quechua, Cachi significa sal. Na minha língua, significa visão-que-eu-queria-ter-da-janela-da-minha-casa-todas-as-manhãs. Com 5.000 habitantes, a maioria descendente da cultura Diaguita-Calchaquí, tem plantações de cebola e de pimentão e picos nevados. Está a 2.260 msnm, ao pé do Nevado de Cachi que, por sua vez, é o segundo maior monte depois do Aconcagua. Por isso, é um centro de treinamento para alpinistas.
Foto: MB - Igreja de São José (teto de madeira de cardon), ao lado do Museu de Arqueologia


Foto: MB - detalhe do painel pintado por Marcelo D. para o Museu de Arqueologia, 2007

A área do cemitério (construído no alto, como manda a tradição Inca) é um mirante. Ouvi histórias sobre OVNIs, mas não vi e nem fiquei pra ver... só sei que uma noite de lua cheia deve ser uma belezura. Outra história que me contaram é que os quintais das casas são verdadeiros sítios arqueológicos...


Foto: MB - vista do Mirador del Norte

Foto: MB - Casas de pedra e adobe rodeiam a igreja de são José (1796) e o Museu de Arqueologia. O tempo passa lentamente.


Foto: MB - O almoço, uma delícia: cabrito, claro!

Foto: MB - o único comércio aberto durante a siesta

post relacionado: O caminho para Cachi e O Noroeste argentino