Páginas

20.6.11

PARIS NA PRIMAVERA: YES, WE CAN.

Há poucos dias estive em Paris. Foi planejado? Não como deveria. Foi como sugere a série Europa a 50 euros por dia? Nem todos os dias. Foi, sim, uma viagem contemplativa e, acima de tudo, sublime. Vou contar tim-tim por tim-tim.

FOTO MB: DETALHE DA FACHADA DE NOTRE-DAME

O INÍCIO DA HISTÓRIA

Certo dia eu cismei que só iria para Europa se fosse utilizando milhas aéreas. Capricho, eu sei, mas foi assim que eu fui. O passo seguinte foi determinar o número de dias. Aí, entrou em cena o capricho de numero 2: deveria equivaler ao valor da passagem aérea, se paga. Uma conta rápida, considerando um hotel simples, bem localizado e com café da manhã opcional, indicou 4 noites em Paris e... 2 noites em Barcelona, voando low cost (capricho de numero 3). Pronto, passou um pouquinho da conta inicial, mas estava formatada a minha viagem ao continente europeu.



FOTO MB

ENTRE MOCHILA E MALA DE RODINHAS

Como a opção foi por uma viagem de apresentação (não se conhece Paris e Barcelona de uma só vez) e o meu jeito de viajar não se aproxima muito do turismo tradicional oferecido por agência de viagem, desembarquei no CDG no início da tarde e a primeira providência foi comprar o Paris Visite, por 5 dias, para a zona 1-6. Isso me garantiu circulação livre entre a cidade e arredores (inclusive Disney, La Vallée Village e Versailles), que acabei não utilizando. No terminal 1 do CDG, tomei o transporte do aeroporto até o terminal 3, para embarcar no trem até a Gare Du Nord. De lá, após trocar de linha, segui até a estação mais próxima do hotel – Bréget – Sabin, no 11e. arrondissement.

Saiba que sair do aeroporto de trem é mais comum do que se pode imaginar: viajei com executivos parisienses, turistas americanos e japoneses, gente, aparentemente, bastante familiarizada com a cidade. O custo-benefício é bom, cerca de 40 minutos e poucos euros, contra os 20 minutos e 17 euros gastos com o shuttle contratado para a volta. O ponto negativo é a escadaria típica do metro parisiense. O que para mim nem foi problema, pois acredito que em Paris a gente chega com a mala vazia, certo? Fui elogiada no check-in da TAM, pois minha linda mala nova e vermelha da Lansay pesou menos de 10kg.
  
O RESTANTE DA HISTÓRIA ESTÁ AQUI    AQUI    MAIS UM POUQUINHO AQUI    .... E AQUI