Páginas

Mostrando postagens com marcador restaurantes. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador restaurantes. Mostrar todas as postagens

24.3.19

CAFÉ, RUM, AREPAS E GRAFITE

Se o melhor da cidade está naquilo que se encontra pelo caminho, a “comida de rua” ganha destaque. Em Cartagena, frutas, pan de bono (que lembra um pão de queijo) e arepas roubam a cena. Para escolher o quê saborear é interessante saber, por exemplo, que há mais de uma versão para cada produto, os versáteis patacones é uma massa de banana da terra (plátano), papa é uma bolinha de batata recheada com carne, caramañola é uma bolinha de mandioca com queijo e arepa é um bolinho de milho com recheios variados. Aliás, queijo é o que não falta: momposino, campesino, costeño, de hoja, llanero, paipa...

A LIMONADA DE COCO E O LULO VÃO PARAR NO PALITO | ATENÇÃO: NÃO CONFUNDIR A SABOROSA UCHUVA (PHYSALIS) COM UVA | LA PALETTERIA.
AO ACRESCENTAR RUM, VODKA E TEQUILA NA LIMONADA DE COCO, FAZ-SE O COCO LOCO.
AREPITAS SÃO ENTRADA GOURMET | CHÁCHARA. NO BALCÃO É PRATO PRINCIPAL | COLOMBITALIA.
PATACONES PODEM SER FRITOS OU GRELHADOS, DE PLÁTANO MADUR OU VERDE. SÃO SERVIDOS NO CAFÉ DA MANHÃ OU COMO TIRA GOSTO ACOMPANHADO DE SALSA E CARNE SALADA DESFIADA | RESTAURANTE PALENQUERA.
NO PRATO PRINCIPAL DE ARROZ DE COCO E CAZUELA DE MARISCOS | LA MAR |ISLA DEL ENCANTO
NO ACOMPANHAMENTO DA CAZUELA DE PESCADO DO RESTAURANTE LA COCINA DE CARTAGENA.
AS IGUARIAS FRITAS SÃO TÃO APRECIADAS QUE ANUALMENTE ACONTECE O FESTIVAL DE FRITOS.

Assim como os salgados fritos, os doces também ganham um festival próprio durante a Semana Santa. O Festival del Dulce Cartagenero acontece todos os anos na Plaza de Los Coches. Os de coco, de feijão (guandul), de banana com manga e especiarias (mongo mongo) e de inhame são os doces mais tradicionais. No Portal de los Dulces é possível saborear muitos outros durante todo o ano: alegría, cubanitos, caballito, enyucado, cocadas, icacos, arropilla e panelitas ou muñecas - doce típico à base de leite e amêndoas. Os rasguñaos são doces de frutas e de legumes, portanto, a lista é extensa: mamão, coco, goiaba, tamarindo, abóbora, batata doce... 

COMO NÃO SOU FÃ DE DOCE, MAS NÃO RESISTI AO 100% CHOCOLATE FEITO DE MOUSSE E BROWNIE DO CAFÉ LUNÁTICO.

É durante a caminhada entre os pontos de interesse que bate aquela vontade de fazer uma pausa para o cafezinho. Apreciadores da bebida reconhecem o café colombiano como um dos mais saborosos. Os grãos do tipo arábica são colhidos manualmente e produzem uma bebida com baixo teor de cafeína, menos amarga e muito aromática. 

ONDE APRECIAR O CAFÉ

Juan Valdez é a Starbucks colombiana. Com "uma loja em cada esquina", segue a cartilha da rede americana. Vende tortas, canecas e o pó do café já moído para presente. Ambiente agradável e produtos saborosos.


Café La Presentación está na linda Casa Museu La Presentación. A Casa reúne galeria, loja de artesanato, um belo jardim e o Hotel el Claustro.



O Café San Alberto é o colombiano mais premiado no mundo! A moagem é feita na hora e a embalagem à vácuo garante o aroma por vários dias. É um dos poucos que abre diariamente, das 9h às 19h30, na Calle de los Santos de Piedra, no Centro Histórico. A porta discreta, perto do Museo das Esmeraldas, entre a Plaza Bolívar e a Catedral quase passa despercebida. Aliás, a rua concentra comércio variado, restaurantes e a casa do corsário Francis Drake, que invadiu Cartagena em 1586.

O Café del Mural está na Calle San Juan, uma rua estreita e colorida por murais na proximidade da Plaza La Trinidad, em Getsemaní. A proposta do local é ser um laboratório de café. As poucas cadeiras na calçada é um convite para um agradável fim de tarde. O horário de atendimento é das 15h às 20h. 



VIZINHO AO RESTAURANTE ARRABAL, O CAFÉ DEL MURAL OFERECE CURSO E EXPLICAÇÃO SOBRE TORRA DE CAFÉ E DEGUSTAÇÃO.



MURAIS E GRAFITES

Para quem gosta da arte urbana, Getsemaní é um prato cheio. A Street Art acontece pela colaboração direta entre artistas e donos dos muros e o que começou como uma forma de expressão, hoje muda a relação dos turistas com locais antes desconsiderados para visitação. Em 2013 o bairro sediou o Festival Internacional de Arte Urbana. Desde então, os grafites de Getsemaní tornaram-se um dos mais famosos do mundo. Perambulando pelo bairro, você visita uma verdadeira galeria de arte a céu aberto. A temática vai de protesto aos elementos da cultura local.

O MAPA DA MINA.

A ESQUINA ENTRE A CALLE SAN JUAN E CALLE DE LA SIERPE É UM DOS PONTOS DE PARTIDA PARA O CIRCUITO DOS GRAFITES. 




TEXTO SOBRE BEL BORBA

A PALENQUEIRA DE DEXS

LOS NIÑOS DE BI CROMO

ERRE


HOMENAGEM AO CANTOR/COMPOSITOR COLOMBIANO DE SALSA E MÚSICA CARIBENHA

NAS REDONDEZAS DA CALLE DEL ESPIRITU SANTO E CALLE PACO





MURAIS NOS INTERIORES E TELAS NAS CALÇADAS

HOSTAL 





RESTAURANTE PALENQUEIRAS


OS LUGARES DO RUM 

Aprendi alguma coisa sobre a bebida preferida da cidade. Primeiro, a degustação de rum é chamada "cata” e são agendadas com antecedência em lugares específicos. Segundo, os mais apreciados são os produzidos na Guatemala (Zacapa), os colombianos La Hechicera (Barranquilla) e Dictador (Cartagena). Terceiro, para fazer drinks, o Viejo de Caldas, encontrado também em embalagens tetra pak. 
 

DON AMBRO´S TOBACCO & RON

NA ESQUINA DA PLAZA FERNANDEZ DE MADRI, NA CALLE PRÓXIMO DA CASA DE GARCIA MARQUEZ, O DON AMBRO´S OFERECE AMBIENTE QUE CELEBRA "OS CUBANOS". 

NA PLAZA SANTO DOMINGO, O TAMBÉM AZUL CUBA 1940 É MUITO BEM RECOMENDADO PELA QUALIDADE DOS PRODUTOS COMERCIALIZADOS.


O CAFÉ HAVANA, EM GETSEMANÍ, É LOCAL NOTURNO DE MÚSICA AO VIVO. A ESPECIALIDADE É O MOJITO. AOS DOMINGOS, A ENTRADA É COM CONSUMAÇÃO.

O ALQUÍMICO REINA ABSOLUTO COM DRINKS INUSITADOS.


Abro parênteses para apresentar o buteco mais charmoso que encontrei na cidade: o Estrella de la India. Sempre movimentado, reúne moradores e turistas na esquina que é um verdadeiro oásis no Centro Histórico. Ali, próximo da Universidade, as mesas azuis, a cerveja gelada e a oportunidade de apreciar o movimento me encantaram. Servem rum? Nem perguntei!

ESTRELLA DE LA INDIA | SARGENTO MAYOR COM LA UNIVERSIDAD


Certamente Cartagena tem muitos lugares além daqueles que visitei e expus aqui e cada modelo de viagem irá priorizar um ou outro lugar. Eu, no entanto, sigo em busca da autenticidade e embora tenha escrito na testa "turista", gosto de imaginar que estou vivenciando a rotina da cidade. Assim foi. Certamente Cartagena é um lugar para retornar!

POSTAGENS RELACIONADAS


CARTAGENA DE INDIAS: A CIDADE COLONIAL MAIS PRESERVADA DA COLÔMBIA QUE É PURO CHARME

GETSEMANÍ: PAIXÃO À PRIMEIRA VISTA


AS PRAIAS DE BARÚ
AS IGREJAS DE CARTAGENA DE ÍNDIAS

13.5.13

PUEBLO LIBRE E A MAIOR COLEÇÃO PRÉ-HISPÂNICA DO MUNDO: VAI PERDER?

FOTO MB: VISTA DA PLAZA BOLÍVAR DESDE A ENTRADA DO MUSEO NACIONAL, COM O PALÁCIO MUNICIPAL, A FONTE E A IGREJA DE SANTA MARIA MADALENA AO FUNDO

Disse e repito que é esclarecedor conhecer outros lugares além do centro histórico de Lima. Pueblo Libre é um deles. Tradicional e agradável, é lá que estão dois dos principais museus da América do Sul: o Museu de Arqueologia Rafael Larco, com a maior coleção de peças pré-hispânicas do mundo (45 mil peças em ouro, prata e cerâmicas) e o Museu Nacional de Arqueologia, Antropologia e História do Peru. Este último está na Plaza Bolívar, que tem fonte de bronze do século XVIII, no lado oposto ao Palácio Municipal. Logo adiante está a Igreja de Santa Maria Madalena (1549), uma das mais antigas de Lima e declarada Patrimônio Monumental desde 1942 e a Casa dos Libertadores, que acolheu Bolívar e San Martin.  

FOTO MB: DA PINACOTECA DO MUSEO NACIONAL

Caminhando ali por perto, por ruas de casas republicanas, encontra-se a Bodega Queirolo, tal qual como foi construída e mobiliada em 1890 (puro charme) e o Restaurante El Bolivariano, de comida típica peruana. 



FOTOS MB: Pueblo Libre também tem Huaca e prédio de rinha de galo construído no século XVIII (quando descobri já era noite, mas não pude deixar de registrar o telhado com várias aberturas e aparentando má conservação, coisa que de fato era uma característica necessária para a finalidade do local).



1.5.13

GASTÓN ACURIO E O TANTA: GASTRONOMIA PERUANA

Desde ontem, o restaurante Astrid y Gastón  figura em 14º lugar na lista dos 50 melhores restaurantes do mundo. Lá não fui, mas conheci de perto a proposta de Gastón Acurio para a culinária peruana em duas outras das suas casas - La Mar e Tanta. Diante do prato já vazio no Tanta (que virou minha menina dos olhos, já que não sou fã de ceviche) eu entendi a escolha do seu nome após saborear a quantidade certa de cada ingrediente, identificar em separado todos eles e me deliciar com o conjunto. Restaurante Internacional, o Tanta “tempera” o prato com ingredientes tradicionais da cozinha peruana e deixa saudades. Perdoem tantos elogios, mas o que posso fazer se foi lá que comi o mais fresco e saboroso tiratido, a melhor huancaína, os melhores lomo saltado, ají de galinha e risoto de lagostin à moda da casa?

MAIS EXPERIÊNCIAS, DIGAMOS, GASTRONÔMICAS EM LIMA

FOTO MB: ANTICUCHOS E ARROZ DE PATO NO RESTAURANTE CRIOLLO EL BOLIVARIANO

A lista de pratos típicos é grande. Para conhecer alguns deles passei pelo EL BOLIVARIANO, em Pueblo Libre, que é muito interessante, principalmente pela cordialidade com a qual os clientes são recebidos e pela proximidade do Museo de Antropologia (que não é o Museo Larco). Lá provei de tudo um pouco: pisco, chicha morada, anticucho... mas o prato escolhido foi arroz de pato. Para café ou lanchinho da tarde, eu só pensava no MANOLO CHURROS, em Miraflores. Criado em 1968, é uma instituição. Não há quem na volta para casa não dê uma passadinha por lá para comprar uma porção de churros sem recheio e sair caminhando comendo como se fosse pipoca. Eu só comprava os recheados com doce de leite, para mim ma-ra-vi-lho-sos, de massa crocante e pouco doce. Perto dali, ainda na Avenida Larco, outra boa opção é o Café Suisse – La Tiendecita Blanca, com mesas na calçada.

FOTO MB: O CAFÉ CUSQUENHO E O QUESO HELADO DE AREQUIPA NO LA PASTELERA

O tacu-tacu eu experimentei no Centro Histórico, em um restaurante da Pasaje Santa Rosa que não lembro o nome; o queso helado (de Arequipa) foi em Barranco, no LA PASTELERA e o BEMBO´S – espécie de Mc Donald’s com alguns sanduíches, digamos, peruanos – também é bem honesto e fácil de encontrar. O mais curioso dele é que as lojas não seguem uma identidade visual e, além de mostarda, ketchup e maionese, disponibilizam salsa de ají picante.

FOTO MB: HELADO DE PALO DE LIMÃO DA NESTLÉ. GOSTEI NÃO! 

Muito comum é encontrar uma CHIFA, restaurante de comida chinesa com influências peruanas. Não tive oportunidade de experimentar e não me senti atraída pela ideia, mas dizem que as melhores chifas estão no Jirón Capón, a Chinatown limenha, nas proximidades da Plaza de Armas.

FOTO MB: O MARCIANO DO MANOLO. PEDI UM CACHORRO QUENTE DE FORNO E RECEBI TUDO ISSO

TOME NOTA:
Ceviche (peixe cru marinado em suco de limão) / Lomo Saltado (tirinhas de filé salteado com cebola e tomate) / Ají de Gallina (frango com molho apimentado acompanhado de arroz) / Chicharrones (porção de carne suína frita, tipo um torresmo) / Cuy (porquinho da índia assado) Anticuchos (coração de boi) / Tiratido (entrada, petisco) / Tacu Tacu (purê de arroz e feijão, ou só de arroz, ou só de feijão)/ Causa (bolo de batata, parecido com a madalena, recheado  com maionese)/ Queso Helado (aquilo que identifiquei como raspadinha de leite [soro] com canela)