Páginas

20.6.11

A PRIMEIRA TARDE-NOITE EM PARIS

FOTO MB: CHAMP DE MARS

Cheguei em Paris quando o dia tem 14 horas e o verão ainda não começou. Seis da tarde, check-in feito, mapa na mão, sai para ver o Sena. A lição numero 1 me foi dada por uma jovem parisiense très simpática: para chegar na Torre Eiffel – Champ de Mars, atravessando o Sena, desça na estação Trocadéro. Foi assim que cheguei na Colina de Chaillot, onde havia o Convento da Visitação, destruído durante a Revolução. É nessa esplanada dos “Direitos do Homem” que está o Palais de Chailot, local da Assembléia da ONU que adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948. Em seguida, o Jardim de Trocadéro, que desce até o Sena. Atravessei a Pont d'Léna e estava no Champ de Mars com a sua Torre. Pequena aos meus olhos, linda em sua base, única em sua arquitetura. Uma fila formada por mais de 300 pessoas e a perspectiva de demorar mais de duas horas para chegar ao seu topo me fez optar por vislumbrar a cidade do chão. Assim foi feito. Atravessei o Champ de Mars até a Escola Militar, admirando à esquerda, a cúpula da Igreja Saint Louis, parte do complexo Des Invalides que é formado também pelo Museu de Armas e onde está o túmulo de Napoleão.

FOTO MB: DES INVALIDES

NO MEIO DO CAMINHO HAVIA UM CARREFOUR CITY

Como ainda havia luz natural, o adiantado da hora só se fez notar diante do Carrefour City. Os parisienses entravam na loja para comprar o jantar, antes de seguirem para casa. Fiz o mesmo. Salada de penne com brocolis e salmão defumado, temperada com basílico e molho de limão (menos de 4 euros); comprei também foie gras (só porque adoro, pois a salada era suficiente para uma refeição) e um refrigerante. Era tudo o que eu queria às dez horas da noite, de um dia que começou 24 horas antes, no outro "lado" do Atlântico.