Páginas

14.8.09

ANTONINA ALÉM DO FESTIVAL DE INVERNO - SIMBORA PARA O LITORAL DO PARANÁ

Caros visitantes: o Projeto doméstico "Simbora para o litoral do Paraná" concluiu a segunda etapa no final de semana passado, em Antonina. Então, voltei aqui para complementar esse post, com texto e fotos recentes.
Foto MB: É de 15 km a distância entre Morretes e Antonina. Pode-se dizer que o ponto inicial dessa caminhada é a ponte verde, ao lado da Igreja Matriz.

Antonina é um pequeno município paranaense com saída para o Atlântico, distante cerca de 80 Km de Curitiba. Seu tempo áureo (dos engenhos e exportação da de erva-mate, das fábricas da Matarazzo, do porto Barão de Teffé e dos grandes espetáculos teatrais) há muito se foi.


Foto MB: fachada do Teatro

Ficaram as ruínas, o casario histórico e a natureza para serem admirados. Tudo na maior calma, que só é alterada por ocasião do Carnaval, do Festival de Inverno da UFPR e dos festejos da padroeira Nossa Senhora do Pilar.


Foto MB: Estandarte artesanal da Casa do Artesanato

Logo na entrada da cidade está a fábrica da bala de banana, que é um verdadeiro ícone local! Adiante, a Estação Ferroviária: parada final do ramal da linha Curitiba-Paranaguá (1880) que parte de Morretes (1892). Poucos metros depois, é hora de iniciar a caminhada.

Foto MB: Casario e Igreja de São Benedito

Foto MB: Casario visto da Matriz

Caminhe por ruas coloridas e vislumbre a cidade do alto, na Igreja de N. S. do Pilar. Perca-se por lá até a hora do almoço, que pode ser no Joca (próximo do mar) ou no Bouganvil na praça da Matriz). Tem também o Mercado Municipal com mesas ao ar livre. Êta vida besta e contemplativa!



Foto MB


Na caminhada você notará que algumas casas receberam a visita dos Amigos da Música de Antonina. Eles se apresentaram pela primeira vez em 2003, no Festival de Inverno e seguem fazendo serestas. As casas registram na fachada a passagem do grupo com uma placa que traz o nome da música oferecida e o de seu autor. Dá para imaginar ternura maior! Além disso, eles se reunem às sextas no Mercado para cantar e recebem os menos tímidos de braços abertos: o microfone pode ser seu!

Foto MB: vista do apartamento 210 do Hotel Atlante, na Praça Coronel Macedo. Muito boa opção de hospedagem. Gostei!

Foto MB: as ruínas da erva mate

No final da tarde é possível fazer um rápido passei de barco desde o Trapiche novinho em folha até a Ponta da Pita. Dá para ver a cidade anoitecendo e os pássaros buscando abrigo. Simples assim.


Foto MB
Ao desembargar, rume para a Travessa Marinho de Souza, próximo da Fonte da Carioca. Lá você encontra mesas ao ar livre para um bom papo. A Cantina Casa Verde é uma ótima opção.  


Foto MB: Ponta da Pita

Pois bem, Antonina é assim "tem mar, canoa, tem serra, rio e cachoeira, seresta, carnaval... retreta na praça, barreado, siri e frutos do mar..." e com Morretes faz a dobradinha perfeita para um passeio de um único dia.