Páginas

28.4.08

UM JEITO PRÓPRIO DE VER O CHILE 1

FOTO MB: La Moneda


Tudo começou quando eu, bisbilhotando o site da Gol, deparei com passagens para Santiago por módicos R$ 249,00 (morar em Curitiba traz a vantagem adicional de estar fisicamente próximo de nuestros hermanos).
Uma vez compradas as passagens, devidamente parceladas no cartão de crédito, só restava preencher os 10 dias com um roteiro pra lá de diversificado, para contemplar as expectativas de três viajeros. A idéia inicial era a de explorar "os arredores de Santiago": ver o Pacífico, Valparaíso e Viña del Mar. Mas a tentação foi grande ao saber de Pucón, na pré-cordilheira, com possibilidades de subir um vulcão ativo. Lá fui eu...
FOTO MB: Estação de metrô 

1ª Parada: Santiago

Uma bela cidade, que pouco difere de São Paulo. Elegi a muito agradável província de Providência para ficar – bairro que permite uma caminhada noturna tranqüila, com muitos hotéis, restaurantes, bares, cafeterias, lanchonetes, supermercados, comércio em geral, próximo aos campos de golf, da estação de metro e dos cerros Santa Lucia e San Cristobán. O hotel foi o Neruda Express. Em Providência, há um Serviço Nacional de Turismo – Av. Providência, 1550 – que fornece mapas da cidade e dos itinerário de ônibus e linhas de metrô, além de programação cultural gratuita e um bondinho que circula por pontos turísticos da Província, em passeios pré-agendados e gratuitos. Não consegui conciliar horário, mas bem que tentei.

FOTO MB: cotidiano em Providência

Aquilo que não vou esquecer: a simpatia e a cordialidade do povo chileno; o corte impecável dos uniformes dos carabineros; o calor do metrô (muito próximo da superfície); o suco de chirimoya alegre (fruta-de-conde e laranja), incrivelmente refrescante; o Café do Museo La Moneda; os cerros; as caminhadas pelas ruas de pedestres (passeos), arborizadas pelos plátanos orientais, nos finais de tarde.