Páginas

1.7.09

SÃO PAULO EM DOIS DIAS

O fim de semana em Sampa para conferir o que mudou desde que estive lá pela última vez há quase 20 anos pode não ter sido uma Brastemp, mas tudo aconteceu conforme o previsto e foi bastante produtivo. Nas próximas postagens vou descrever essa aventura. Mas, antes disso quero registrar que o transporte gratuito da Gol de Guarulhos para Congonhas funcionou muito bem e significou uma economia de R$ 30,00 em relação ao Airport Bus Service – circuito dos hotéis Paulista/Augusta –, e de R$ 84,00 caso tivesse optado por um táxi para o trajeto Guarulhos – Hotel na Paulista. Cabe ressaltar que o taxi de Congonhas até o Hotel na Av. Paulista custou R$ 32,00, ou seja, para uma única pessoa o ônibus é a melhor opção. Por R$ 37,00 circulei de Metro dois dias, para conhecer/rever pelo menos 15 pontos de interesse.

Ao chegar sexta-feira à noite depois de um dia de trabalho só foi possível fazer o check-in e programar o jantar no Bexiga (há quem prefira dizer Bela Vista). A escolha pode não ter sido original, mas o Villa Tavola, inaugurado em 1963, fica aberto 24hs e oferece transfer gratuito. Avanaldo (sim, esse é o nome do garçon nordestino, há 18 anos em Sampa e funcionário do restaurante) é dono de uma simpatia contagiante. O buffet de sopas custa R$ 23,00 depois das 23 horas e o cardápio é bastante variado. Não é muito barato, mas se você dispensar o couvert (R$ 17,00 por pessoa!) e dividir um prato extremamente farto que varia de R$ 60,00 a cento e tal, além de contabilizar o “transfer gratuito” como parte da dolorosa, vai ver que não é tanta extravagância em se tratando de São Paulo, certo?
FOTOS MB E LIDIBA